Carros Elétricos no Brasil: Tendência Sustentável e Inovadora

Os carros elétricos chegam como tendência ao Brasil, impulsionados pela necessidade global de sustentabilidade e busca por alternativas mais limpas e eficientes. Diante disso, exploraremos alguns pontos sobre esta revolução do setor automotivo no cenário brasileiro.

Esta não é uma inovação recente, desde o século XIX veículos elétricos já existiam, mas estão realmente ganhando destaque atualmente. Com avanços tecnológicos significativos, aprimoramento das baterias e diversas preocupações com o meio ambiente, esta solução tem ganhado popularidade no Brasil e no mundo.

Embora o Brasil tenha demorado para aderir à tendência por questões adjacentes, recentemente tem-se visto um aumento significativo no número destes veículos nas ruas brasileiras. Segundo os dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), as vendas de janeiro a dezembro de 2022 foram 41% superiores às do mesmo período de 2021. O governo federal, através de isenções fiscais e programas de incentivo à infraestrutura, tenta impulsionar a adoção no país.

Os carros eletrificados trazem consigo uma série de benefícios, eles são bem mais sustentáveis, pois não emitem gases poluentes e ajudam na redução da emissão de carbono, contribuindo para a preservação do meio ambiente. Além disso, os custos de manutenção são geralmente menores por terem menos complexidades e os proprietários se beneficiam de reduções nos gastos com abastecimento.

Apesar da tendência dos carros elétricos no Brasil, ainda existem alguns desafios para serem superados. A infraestrutura de recarga precisa ser expandida e aprimorada para oferecer mais pontos de carregamento ao longo do território nacional e os preços dos carros elétricos ainda são consideravelmente altos para a imensa maioria da população, embora estejam diminuindo gradualmente.

Carro elétrico: história, características, eficiência e custos.

Os carros elétricos surgiram durante o século XIX, quando os pioneiros Sibrandus Stratingh, Thomas Davenport e Thomas Parker experimentaram os motores a baterias. No entanto, foi somente nos últimos anos que eles ganharam popularidade. Com a preocupação crescente com o meio ambiente e a busca por alternativas aos combustíveis fósseis, os carros elétricos se tornaram uma solução promissora para reduzir a poluição e as emissões de gases poluentes, principalmente por causa da ampliação das tecnologias das baterias.

Estes veículos diferem dos modelos tradicionais por várias características marcantes. São impulsionados por motores elétricos alimentados por baterias recarregáveis, eliminando a necessidade de combustíveis fósseis como a gasolina. Além disso, eles são silenciosos, proporcionam grande torque, oferecendo uma aceleração instantânea, além de possuírem menor quantidade de peças, resultando em menores desgastes, tendo uma manutenção mais simples.

Outra grande vantagem dos carros elétricos é sua eficiência energética. Eles convertem a energia elétrica armazenada nas baterias em energia mecânica de forma muito mais eficiente do que os motores movidos à combustão, enquanto nestes carros o rendimento é em torno de 30% a 40%, nos elétricos pode chegar a 90%. Esta eficiência resulta em menor consumo de energia por quilômetro rodado, consequentemente gerando uma autonomia maior. Ao passar do tempo, junto com o desenvolvimento das baterias, os carros elétricos estão alcançando cada vez mais resultados impressionantes.

Um ponto negativo, principalmente para os brasileiros, que possuem menor poder de compra do que os países desenvolvidos, são os altos valores para adquirir um modelo eletrificado, mesmo que gradualmente estejam se tornando mais acessíveis. Mas embora o preço inicial possa ser maior do que um veículo tradicional equivalente, é importante considerar os custos a longo prazo. Os carros elétricos têm menor necessidade de manutenção e os custos de manutenção e recarga são mais baixos do que os gastos com combustíveis fósseis. Contudo, governos e empresas têm oferecido subsídios e incentivos  para tornar a compra mais atrativa.

Projeções para o futuro dos carros elétricos.

A eletrificação da frota automotiva global.

Nos últimos anos, grandes referências do mercado global têm anunciado planos ambiciosos para a eletrificação automotiva. A Stellantis, por exemplo, planeja ampliar a produção na França, visando atingir mais de 1 milhão de motores elétricos por ano até 2024. O grupo automotivo tem como meta alcançar 100% de vendas de veículos elétricos movidos a bateria na Europa até 2030. Junto a isso, a União Europeia decidiu banir carros a combustão, tanto a diesel quanto a gasolina, a partir do ano de 2035.

Tendências do mercado de veículos elétricos para 2023.

O mercado de veículos eletrificados deve continuar em alta nos próximos anos por aqui no Brasil e no mundo. Em 2021, as vendas globais destes modelos dobraram em relação a 2020, alcançando um recorde de 6,6 milhões de unidades vendidas. Isso representa 10% das vendas totais de carros no mundo. Estudos indicam que a participação dos elétricos nas vendas pode chegar a 33% até 2028 e a 54% até 2035. No Brasil, as vendas também estão crescendo, no primeiro semestre de 2022 houve um aumento de 19% em comparação com as vendas totais de 2021.

O mercado de carros elétricos no Brasil.

As vendas de carros elétricos no Brasil ainda são modestas em comparação com o resto do mundo, mas também estão em crescimento. No primeiro semestre de 2022, foram emplacados 3.395 veículos elétricos no país. Esse aumento pode ser atribuído ao crescimento dos investimentos em infraestrutura pública para veículos elétricos, com a existência de 3 mil pontos de recarga (eletropostos) nas principais cidades e rodovias brasileiras e chegará a 10 mil nos próximos três anos. Estima-se que, até 2035, dois terços dos veículos vendidos no Brasil serão eletrificados.

Poluição, reciclagem e perspectivas futuras.

Embora sejam apresentados como uma solução para problemas ambientais, estudos recentes demonstram que a produção deles pode continuar gerando uma poluição significativa. No entanto, a indústria tem avançado na qualidade da reciclagem das baterias, com o surgimento de empresas especializadas nesse ramo. Além disso, veículos elétricos não emitem poluentes durante a sua vida útil e, quando carregados com energia limpa, poluem cerca de 70% menos do que veículos a combustão. Apesar dos desafios da reciclagem e produção de baterias, a tendência é que continuem sendo a solução que chegou para ficar em alternativa aos veículos a combustão.

Políticas públicas de incentivo ao uso de carro elétricos no Brasil

As políticas públicas de incentivo ao uso de carros elétricos no Brasil têm se tornado cada vez mais relevantes, à medida que o país busca promover uma mobilidade mais sustentável e cumprir com a redução de emissão dos gases poluentes. Com base em dados e tendências do mercado, diversas medidas têm sido propostas para impulsionar a adoção no Brasil. Neste contexto, estão a seguir algumas políticas públicas que visam estimular seu uso.

  • Isenção total do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos elétricos;
  • Renovação da frota do governo federal, com meta de substituir os veículos convencionais por veículos elétricos. Pelo menos 10% dos veículos das forças de segurança federais serão elétricos a partir de 2025, chegando a 90% da frota federal até 2035;
  • Criação de linhas de créditos prioritárias para a produção de veículos elétricos, incentivando o investimento no setor e impulsionando o desenvolvimento de tecnologias mais avançadas e acessíveis;
  • Parcerias entre governo, parques tecnológicos, institutos de pesquisa, empresas e universidades para impulsionar a infraestrutura de suporte aos veículos elétricos e promover o desenvolvimento de tecnologias;
  • Descontos ou isenções de impostos municipais, como IPTU e ISSQN, para produtores e consumidores de veículos elétricos, a fim de atrair investidores e promover o uso desses modelos nas cidades.
  • Estabelecimento de parcerias com empresas do setor privado para o desenvolvimento de infraestrutura de recarga, aumentando a disponibilidade de pontos de recarga em cidades e rodovias.
  • Campanhas de conscientização e educação pública sobre os benefícios dos veículos elétricos, incluindo informações sobre economia de custos, redução de emissões poluentes e sustentabilidade ambiental.

Diante do cenário de busca pela sustentabilidade e da necessidade de transição para uma mobilidade mais sustentável, as políticas públicas de incentivo ao uso de carros elétricos no Brasil desempenham um papel fundamental ao oferecer benefícios fiscais, renovar a frota governamental, fomentar a pesquisa e inovação, promover parcerias e investimentos, além de conscientizar a população. Com a implementação efetiva dessas medidas, espera-se uma ampliação significativa da presença de carros elétricos nas ruas brasileiras ao longo dos próximos anos, contribuindo para uma mobilidade mais limpa, reduzindo as emissões de gases poluentes e gerando uma transição sustentável para o futuro.

Viabilidade dos Carros Elétricos no Brasil hoje: Vale a pena ter um?

O debate sobre a viabilidade e as vantagens de ter um carro elétrico no Brasil tem ganhado cada vez mais destaque ultimamente. Enquanto estes veículos já mostram certo protagonismo no setor automotivo, algumas dúvidas e preocupações persistem sobre o alto investimento inicial e os desafios relacionados à manutenção e à recarga dos automóveis movidos a eletricidade. A seguir, exploraremos um pouco sobre as principais vantagens e desvantagens de possuir um modelo elétrico, para ajudar na tomada de decisão.

Vantagens

  • Custo por quilômetro rodado: Especialistas apontam que a economia no abastecimento de um carro elétrico pode chegar a até 73% em comparação com veículos a combustão.
  • Manutenção mais simples e econômica: Os motores elétricos possuem menos componentes em comparação aos motores a combustão, o que torna a manutenção mais simples e menos dispendiosa. Além disso, não há necessidade de troca de óleo, correias ou caixa de marcha.
  • Condução agradável e segura: Os carros elétricos são mais silenciosos, possuem um centro de gravidade mais centralizado e próximo ao chão, proporcionando uma direção estável e controle total do veículo.
  • Maior eficiência energética: Os motores elétricos aproveitam cerca de 90% da energia fornecida, enquanto os motores a combustão têm uma eficiência em torno de 30 a 40%.
  • Menor impacto ambiental: Os carros elétricos geram menos resíduos poluentes em comparação aos veículos tradicionais movidos a combustíveis fósseis, contribuindo para a redução da emissão de gases nocivos ao meio ambiente e à saúde humana.

Desvantagens

  • Recarga demorada: Diferente dos veículos a combustão, os carros elétricos requerem um tempo maior para uma recarga completa, geralmente variando de quatro a oito horas, o que está relacionado à necessidade de recarga lenta para preservar a vida útil da bateria.
  • Investimento inicial elevado: Os preços dos carros elétricos ainda estão fora da realidade financeira da maioria das pessoas, o que dificulta a adoção em massa destes veículos. Com o tempo, espera-se que os preços se tornem mais competitivos em relação aos modelos tradicionais.
  • Autonomia limitada: As baterias dos carros elétricos possuem menor capacidade de armazenamento de energia em comparação a um tanque de combustível, o que resulta em uma autonomia menor. Para obter a mesma autonomia de um veículo a combustão, seria necessário utilizar baterias maiores, o que aumentaria o peso do veículo e o consumo energético.
  • Custo das baterias: As baterias dos carros elétricos possuem uma vida útil determinada, geralmente em torno de 10 anos ou 240 mil quilômetros. Após esse período, o custo de substituição das baterias pode ser significativo, podendo chegar a valores próximos a R$ 30.000, dependendo do modelo.

Conclusão

A decisão de adquirir um carro elétrico no Brasil requer uma análise mais cuidadosa das vantagens e desvantagens envolvidas. Embora apresentem benefícios como menor impacto ambiental, economia a longo prazo e manutenção simplificada, os carros elétricos ainda possuem barreiras a serem vencidas, como o alto investimento inicial, a infraestrutura limitada de recarga e a autonomia restrita. É importante considerar o custo-benefício, a disponibilidade de pontos de recarga e a capacidade financeira de cada um antes de optar por um veículo elétrico. À medida que a tecnologia avança e a oferta e concorrência dos modelos aumentam, espera-se que os carros elétricos se tornem cada vez mais acessíveis e populares no país, contribuindo para um futuro mais sustentável e consciente.

Rolar para cima